Miopia e descolamento de retina: qual o risco?

Mulher desfocada com os braços esticados segurando um óculos que está em foco no primeiro plano

A miopia é um problema de visão (ou erro refrativo) bastante conhecido entre nós. Sua principal característica é fazer com que o paciente tenha dificuldade para enxergar de longe, precisando de óculos ou lentes de contato para identificar objetos, pessoas e palavras que estejam distantes dos seus olhos.

Apesar de comum e, na maioria dos casos, completamente inofensiva, a miopia pode, sim, representar um problema social. Isso acontece porque, atualmente, observa-se um aumento da frequência desse quadro no mundo, especialmente em crianças. E os motivos? Uso excessivo da visão de perto para ler ou usar as telas (celulares, tablets, televisão etc) e a falta de atividades ao ar livre.

Ao longo do tempo, a tendência da miopia é aumentar, o que eleva as chances de complicações oculares.

Para se ter uma base comparativa, a miopia baixa (abaixo de 3) raramente causa problemas. Por outro lado, miopias moderadas (3,25 a 6 graus) e altas (acima de 6,25) podem levar a descolamento de retina, catarata e glaucoma.

Agora, imagine um jovem, ou ainda uma criança, apresentando algum desses quadros? Assustador, não é mesmo? Pensando nisso, preparamos um texto com tudo o que você precisa saber sobre a miopia e suas complicações. Vamos lá?

Sob um fundo verde, 4 círculos representam a progressão da miopia. No primeiro, a foto de uma família ao ar livre está toda focada o que representa a visão normal. No segundo, a família está um pouco desfocada o que representa a miopia baixa que vai de 0,25 até 3,00 graus. No terceiro, a família está um pouco mais desfocada o que representa a miopia moderada que vai de 3,25 até 6,00 graus. E, por fim, no quarto, a família está bastante desfocada o que representa a miopia alta que vai de 6,25 graus pra cima.

O que faz uma pessoa ter miopia e quais são seus perigos?

A miopia é causada por uma combinação de fatores genéticos e ambientais. O paciente com essa condição, muitas vezes, tem o olho mais longo que o normal. Isso faz com que a retina, camada que se estende por todo o fundo do olho, torne-se mais fina, frágil e sujeita a lesões.

Sendo assim, com o passar do tempo e, obviamente, com a progressão da miopia, podem ocorrer vários tipos de problemas oculares. Os mais frequentes são:

  • degenerações periféricas;
  • buracos e rasgos na retina;
  • descolamento de retina;
  • degeneração macular;
  • glaucoma.

Vamos entender um pouco mais sobre cada um?

Degenerações periféricas na miopia

Quando, com o crescimento do olho, a retina é esticada, podem surgir áreas de afinamento na sua periferia chamadas degenerações. As mais comuns são: paving stone, lattice e snailtrack. Algumas destas, dependendo do caso e intensidade, podem ainda levar ao descolamento da retina e, por isso, merecem nossa atenção.

Essas alterações, no geral, são detectadas no exame de mapeamento de retina e tratadas com laser para prevenir complicações.

Rotura retiniana

Além dos rasgos e buracos que podem surgir nas áreas de degeneração periférica da retina, os olhos com alta miopia podem apresentar rupturas espontâneas. Na maioria dos casos, elas ocorrem durante o descolamento do vítreo posterior.

O corpo vítreo, ao se descolar, pode tracionar a retina em alguns pontos, causando essas roturas e hemorragias. Os principais sintomas desse quadro são:

  • flashes de luz (fotopsia);
  • pontos escuros flutuando no campo de visão (miiodopsia).

Quando ocorre hemorragia, pode haver perda súbita da visão no olho afetado.

O tratamento inicial das roturas retinianas é com laser. Porém, pode ser necessário tratamento cirúrgico.

Descolamento de retina

Quando ocorre uma rotura na retina, o líquido presente na cavidade vítrea tende a penetrar no espaço abaixo da retina, separando-a dos tecidos subjacentes. Esse tipo de descolamento é chamado regmatogênico.

Nesse caso, além da presença das fotopsia e moscas volantes, ocorrem manchas no campo visual e perda parcial ou total da visão.

O descolamento de retina é, por fim, uma urgência oftalmológica e, sendo assim, deve ser tratado imediatamente. Quanto mais tempo a retina passa descolada, menores as chances de recuperação visual.

Degeneração macular

Nos pacientes alto míopes, pode ocorrer, também, uma degeneração macular com formação de membrana neovascular sub-retiniana, muito semelhante ao que ocorre na DMRI (degeneração macular relacionada à idade).

O tratamento, nesse caso, pode ser realizado com injeções intravítreas de antiangiogênicos.

Glaucoma

Os míopes, especialmente após os 40 anos, têm o dobro do risco de desenvolver glaucoma. Por ser uma doença silenciosa, ele somente é detectado durante exames de rotina.

O tratamento do glaucoma pode ser feito por meio de medicamentos, laser ou cirurgia.

Como prevenir as alterações visuais da miopia?

Pacientes com miopia moderada e alta devem ter alguns cuidados especiais com os olhos para prevenir as complicações associadas a esse problema. Algumas medidas são:

  • controle semestral ou anual com oftalmologista, incluindo a medida da pressão ocular e o mapeamento de retina;
  • usar óculos de proteção durante esportes e, se necessário, no trabalho;
  • em casa, checar a visão de cada olho periodicamente.

Além disso, existem medidas a serem empregadas durante a infância para reduzir a velocidade de progressão da miopia como, por exemplo:

  • diminuir o tempo de tela;
  • aumentar a realização de atividades ao ar livre;
  • colírios cicloplégicos.

E aí, gostou do texto? Para ler mais conteúdos como este, fique de olho em nosso Site e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)! Estamos te esperando.

Texto originalmente publicado no portal Convite à Saúde

Arquivos

Posts recentes

Comentários

    Redes Sociais

    WhatsApp chat