Lesões no ciclismo: quais são as mais comuns?

Homem mais velho sentado no chão de uma ponte com as mãos no joelho por causa de uma lesão provocada pelo ciclismo. Ele está de capacete e a bicicleta está logo atrás dele.

O ciclismo é uma ótima opção para quem quer investir em saúde e bem-estar. No entanto, como todos os esportes, essa atividade pode ocasionar lesões que, quando não tratadas, podem se transformar em problemas sérios.

Se você quer continuar pedalando por muitos e muitos anos, vale conhecer algumas das lesões mais comuns do ciclismo e aprender a lidar com elas. Vamos lá?

1- Joelho

Uma das queixas mais frequentes entre os ciclistas é a dor no joelho. Ela pode estar localizada nas seguintes regiões:

  • anterior (região da patela) – um desconforto na parte da frente do joelho pode ser consequência da síndrome da dor patelofemoral (também conhecida como “joelho de corredor”). Esta, por sua vez, pode ser causada por aumento repentino na frequência ou intensidade dos treinos, ajuste incorreto da bicicleta (tamanho incorreto do quadro, altura do selim muito alta ou baixa etc) ou ainda desequilíbrios musculares do ciclista.
  • lateral – geralmente, é causada pela síndrome da banda iliotibial, lesão provocada por sobrecarga de peso nos joelhos. A melhor forma de preveni-la é posicionando corretamente a altura do selim e fortalecendo os músculos das pernas e quadris.
Figura de uma bicicleta com algumas dimensões assinaladas

2. Pescoço

A dor no pescoço é uma queixa muito comum entre os ciclistas porque, ao pedalar, a pessoa se mantém muito tempo em uma só posição, gerando tensão na região da nuca.

A melhor forma de evitar o problema é ajustar bem a bicicleta ao seu corpo para que não haja compensação indevida do peso e arqueamento das costas. Além disso, é importante realizar um alongamento dos músculos dos ombros e pescoço antes, durante e após as pedaladas.

3. Coluna lombar

Outro problema frequente é a dor aguda na parte inferior das costas (lombalgia) que, dependendo da situação, pode irradiar para as nádegas e coxas.

No ciclismo, a lombalgia geralmente resulta de uma postura fixa e sustentada pelos quadris por muito tempo. Explicando melhor: como a região da lombar se mantêm relativamente fixa quando nos sentamos na bicicleta, isso pode levar, ao longo do tempo, à tensão e inflamação muscular.

A melhor forma de evitar esse problema é, primeiramente, verificar se o ângulo da sela não está muito baixo ou inclinado. Depois, lembre-se de fazer alongamentos para a região da lombar e quadris para mantê-los mais flexíveis.

4. Mãos

Por exigir o apoio constante das mãos, não é de se espantar que a dor nestes membros seja uma das principais queixas dos ciclistas. Ela pode vir, inclusive, acompanhada de fraqueza, espasmos, formigamento e/ou dormência.

A causa mais comum para a desconforto nas mãos é a compressão do nervo ulnar (que passa na parte inferior do pulso), geralmente ocasionada pelo ato de segurar o guidão em uma só posição por muito tempo.

Para amenizá-la, procure alterar a posição das mãos nas empunhaduras de vez em quando para evitar o acúmulo de tensão. Além disso, não se esqueça de alongá-las.

Enfim…

Quando praticamos com mais frequência e assiduidade qualquer tipo de atividade que exija e movimentação do nosso corpo, é normal que esta, com o tempo, gere alguma sobrecarga nos músculos, tendões e articulações. É importante monitorar de perto essas alterações para que não se transformem em lesões mais sérias e permanentes.

Sendo assim, a melhor maneira de preservar a saúde do seu corpo é fazendo um acompanhamento de rotina com o ortopedista. Além disso, não se esqueça: em casos de trauma, procure pela emergência.

E aí, gostou do texto? Para ler mais conteúdos como este, fique de olho em nosso Site e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)! Estamos te esperando.

Texto originalmente publicado no portal Convite à Saúde

Arquivos

Posts recentes

Comentários

    Redes Sociais

    WhatsApp chat