Fascite plantar: como lidar com a dor no calcanhar?

Mulher, sentada em um sofá, mexendo no calcanhar por estar com dor proveniente de uma fascite plantar

Colocar os pés para fora da cama e sentir uma dor imensa ao pisar no chão é uma das experiências mais desagradáveis que um paciente com fascite plantar enfrenta em seu dia-a-dia. Aliás, esta é uma das causas mais comuns para a dor nos calcanhares.

Para saber tudo o que precisa sobre essa condição e, claro, as formas de lidar com ela, basta continuar conosco.

O que é fascite plantar?

É uma inflamação na fáscia plantar, um tecido que se estende por toda a base do pé. Ela conecta o calcanhar aos dedos, e sua principal função é dar suporte ao arco plantar, absorvendo impactos provocados por corridas, caminhadas e pulos.

anatomia de um pé com o calcânio, a fáscia plantar e o arco indicados cada um por uma linha preta e um retângulos verdes de bordas arredondadas com seus respectivos nomes. Fonte: Genetizx / CC BY-SA (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0) https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Pedheelpainsp1.jpg

Causas

Como explicamos, a fáscia sustenta os músculos e o arco do pé, suportando e distribuindo os impactos exercidos sobre eles. Logo, quando há muita tensão exercida sobre ela (e de forma recorrente), diversos danos podem ocorrer, ocasionando inchaço, inflamação e dores no local.

Normalmente, a fascite plantar é MUITO comum em pessoas que:

  • andam/correm bastante durante o dia-a-dia, ou passam muito tempo em pé;
  • praticam atividades de alto impacto;
  • têm pé chato ou os seus arcos mais altos;
  • são obesas;
  • são do sexo feminino e têm mais de 40 anos;
  • são idosas;
  • têm a pisada pronada (para dentro);

Sintomas

São sintomas comuns da fascite plantar:

  • dor na parte inferior do pé, mais intensa na região do calcanhar;
  • dor intensa nos primeiros passos depois de sair da cama pela manhã, ou após um longo período de descanso (o incômodo desaparece após alguns minutos de caminhada);
  • dor após o exercício físico.

Diagnóstico

Geralmente, o médico já é capaz de desconfiar da fascite plantar durante a consulta, pois ele fará uma série de perguntas sobre os sintomas e examinará os pés do paciente.

Para confirmar o diagnóstico, podem ser solicitadas:

  • radiografia simples (principalmente para descartar outras doenças);
  • ressonância magnética.

E, por fim: qual é o tratamento para a fascite plantar?

Na maioria dos casos, a fascite plantar pode ser resolvida com apenas algumas mudanças no estilo de vida, como repouso, uso de sapatos mais apropriados, controle do peso e alguns alongamentos, por exemplo.

Porém, se o caso for mais incômodo e/ou grave, ainda é possível:

  • recorrer a analgésicos e anti-inflamatórios para aliviar o desconforto (ambos indicados pelo médico);
  • fazer algumas sessões de fisioterapia (para alongar a fáscia e o tendão de aquiles, e ainda fortalecer os músculos do pé e pernas);
  • usar talas durante a noite (para esticar a panturrilha e o arco do pé enquanto a pessoa dorme);
  • contar com as órteses (ajudam a distribuir a pressão nos pés de forma igual);
  • submeter-se à injeções de corticosteroides;
  • recorrer à terapias por ondas de choque direcionadas ao calcanhar, para estimular a cicatrização das lesões que ocorreram no local;
  • fazer uma cirurgia para separar a fáscia plantar do osso do calcanhar.

E aí, gostou do texto? Para ler mais conteúdos como este, fique de olho em nosso Site e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)! Estamos te esperando.

Texto originalmente publicado no portal Convite à Saúde

Arquivos

Posts recentes

Comentários

    Redes Sociais

    WhatsApp chat