Ruptura do menisco: o que é, sintomas e tratamentos

Jogador de futebol dentro do campo tendo o joelho examinado por um fisioterapeuta por causa de uma lesão que sofreu durante uma partida. Existe a possibilidade de ser ruptura do menisco.

A ruptura do menisco é uma das lesões mais comuns e dolorosas no joelho. Qualquer atividade que faça com que você o torça ou o gire com força, especialmente enquanto colocar todo o seu peso nele, pode provocá-la.

Continue conosco para entender TUDO o que você precisa sobre o assunto!

Afinal: o que é o menisco?

O menisco é uma estrutura fibrocartilaginosa localizada entre o fêmur (osso da coxa) e a tíbia (osso da canela). Sua função é proteger os ossos dessa região de um possível desgaste.

Ele pode se romper durante atividades que pressionam ou giram a articulação do joelho. Em alguns casos, inclusive, um pedaço do menisco se solta e, com isso, “trava” a articulação, impedindo que a perna se dobre.

Portanto, a maioria dos esportes que exigem curvas e paradas repentinas podem aumentar o risco de ruptura do menisco. São alguns deles:

  • futebol;
  • basquete;
  • handebol;
  • tênis.

Além disso, é importante saber que o menisco enfraquece com a idade. Então, esse tipo de lesão é extremamente comum em pessoas com mais de 30 anos. Se a pessoa tiver osteoartrite, então, o risco é ainda maior.

Sintomas

O sinal mais comum de que o menisco se rompeu é o estalo que se escuta na articulação quando esta é torcida. Posteriormente, os principais sintomas são:

  • dor, especialmente quando a região é tocada;
  • inchaço;
  • dificuldade para mover/dobrar o joelho;
  • joelho travado;
  • sensação de que o joelho está cedendo, ou é incapaz de aguentar o peso do corpo.

Diagnóstico

O diagnóstico da ruptura do menisco se inicia com um exame físico e análise do histórico do paciente. Ao inspecionar, apalpar e aplicar algumas manobras no joelho, o ortopedista já consegue identificar a lesão.

Para confirmar o diagnóstico, podem ser pedidos exames complementares como radiografias simples e ressonância magnética.

Por fim: a ruptura do menisco tem cura?

O tratamento da ruptura de menisco depende de uma série de fatores como, por exemplo:

  • a gravidade da lesão;
  • como o joelho foi lesionado;
  • a idade e saúde geral do paciente.

Em situações normais, essa lesão costuma se curar sozinha, ainda mais quando ocorre na parte externa do menisco, chamada “zona vermelha”. Isso acontece porque essa região possui um bom suprimento sanguíneo e, portanto, tende a se regenerar mais rápido.

Neste caso, as recomendações do médico costumam ser:

  • repouso;
  • compressas de gelo no joelho para reduzir sua dor e inchaço;
  • comprimir o joelho com uma bandagem elástica para diminuir o inchaço e tornar a região mais “firme”;
  • elevar o joelho com um travesseiro quando estiver sentado ou deitado;
  • fazer exercícios de alongamento e fortalecimento do joelho com acompanhamento médico;
  • se necessário, tomar anti-inflamatórios.

Porém, quando a ruptura do menisco ocorre na “zona branca”, que corresponde a dois terços internos do menisco, pode ser preciso um procedimento mais direcionado. É o caso de cirurgia e fisioterapia, por exemplo.

No mais, para agendar uma consulta conosco, é só entrar em contato pelo número (31) 3225-3446. Pode ligar que estamos te esperando!

Texto originalmente publicado no portal Convite à Saúde!

Arquivos

Posts recentes

Comentários

    Redes Sociais

    WhatsApp chat