Hérnia de disco: causas, sintomas e tratamentos

Detalhe de médico indicando vértebra em um esqueleto da coluna humana

Você por acaso sente dores no pescoço, ou na parte superior das costas, que nunca havia sentido antes? Bem, isso pode ser uma hérnia de disco cervical.

Embora possa parecer preocupante, esse quadro não é incomum e seu tratamento, quando iniciado precocemente, é bastante eficaz.

Para saber tudo o que precisa sobre esse assunto, continue conosco!

Entendendo nossa coluna vertebral

Antes de aprofundarmos melhor sobre a hérnia de disco, é interessante aprender um pouco sobre a coluna, como ela é construída e, claro, onde estão os discos cervicais. Assim, compreender essa doença, suas causas, sintomas e tratamentos ficará mais fácil.

Vamos lá: nossa coluna vertebral é composta por uma série de ossos chamados vértebras, que estão empilhados uns sobre os outros.

De cima para baixo, a coluna possui 7 vértebras na coluna cervical, 12 na coluna torácica e cinco na coluna lombar, seguidos pelo sacro e o cóccix.

Esses ossos são amortecidos por discos que os protegem e absorvem os impactos das atividades diárias, como caminhar, levantar e torcer.

O que é a hérnia de disco?

Cada disco possui duas partes: a interna, macia e gelatinosa, e um anel externo, mais resistente.

Alguns fatores podem fazer com que a parte interna do disco se projete através do anel externo. Essa projeção é conhecida como hérnia de disco, e costuma causar bastante dor e desconforto.

Além disso, se o disco deslizado comprimir um dos nervos espinhais, o paciente também poderá sentir dormência e dor ao longo do nervo afetado.

O que causa a hérnia de disco?

A hérnia de disco, geralmente, é o resultado de um desgaste gradual causado pelo envelhecimento, chamado degeneração do disco.

Ocorre que, na medida em que envelhecemos, nossos discos perdem parte dessa parte gelatinosa e macia. Isso, com o tempo, torna-os menos flexíveis e mais propensos a se rasgarem ou romperem, mesmo com uma pequena tensão ou torção.

A maioria das vezes não é possívelidentificar, exatamente, o que provocou a hérnia de disco. Normalmente, ela está associada ao levantamento de peso excessivo, especialmente em uma postura incorreta, usando os músculos das costas ao invés dos músculos da perna e da coxa. ​​

Fatores de risco

Fatores que aumentam o risco para hérnia de disco são:

  • peso: o excesso de peso corporal pode causar um estresse extra nos discos da região lombar, tornando o deslocamento destes mais fácil;
  • ocupação: pessoas com empregos fisicamente exigentes têm maior risco de terem problemas nas costas. Elevar objetos repetidamente, puxá-los, empurrá-los e dobrá-los também pode aumentar as chances de se adquirir hérnia de disco.
  • genética: quando há casos de hérnia na família, as chances de se adquirir uma são maiores.

Sintomas

  • Dor e dormência, mais comumente em um lado do corpo;
  • perda de equilíbrio e coordenação;
  • dor que se estende aos braços e/ou pernas;
  • desconforto que piora à noite, ou com movimentos específicos;
  • dor que piora depois de ficar em pé, ou muito tempo sentado;
  • dificuldade ao caminhar distâncias curtas;
  • fraqueza muscular inexplicável;
  • sensações de formigamento, dor ou queimação na área afetada.

Diagnóstico

O médico especialista fará, primeiro, um exame físico. Aqui, o objetivo é procurar a fonte de sua dor e desconforto. Isso envolverá a verificação das suas funções nervosas e musculares.

Dependendo da gravidade da situação, o profissional pode solicitar alguns exames de imagem para checar, com mais precisão, como estão os ossos e músculos da sua coluna vertebral, e identificar quais são áreas danificadas.

São alguns exemplos de exames de imagem:

  • raio X;
  • tomografia computadorizada;
  • ressonância magnética.

Como é tratada a hérnia de disco?

Os tratamentos para esse quadro variam. Tudo depende do nível de desconforto que você está sentindo, e de quanto o disco foi deslocado. As alternativas incluem:

  • fortalecer e alongar as costas e músculos circundantes com as orientações de um fisioterapeuta;
  • tomar analgésicos e/ou relaxantes musculares para aliviar a dor;
  • cirurgia: a parte danificada ou saliente do disco pode ser removida em um procedimento chamado microdiscectomia.

E aí, gostou do texto? Para ler mais conteúdos como este, fique de olho em nosso Site e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)! Estamos te esperando.

Texto originalmente publicado no portal Convite à Saúde

Arquivos

Posts recentes

Comentários

    Redes Sociais

    WhatsApp chat