Bebê tendo a barriga massageada por causa de cólica

A cólica é caracterizada pelo choro repentino e inconsolável, sem uma causa aparente. O bebê não está com fome, nem cansado ou com sono, e as fraldas estão limpas. Ele faz careta, movimenta as pernas e os braços e aperta os punhos com força.

A cólica do recém nascido se inicia por volta de duas semanas de vida e pode persistir até os 3 ou 4 meses de idade. O choro geralmente começa ao entardecer e pode durar horas. Os pais muitas vezes se sentem frustrados e impotentes frente ao problema.

Causas

As causas exatas das cólicas do bebê são desconhecidas. Elas estão relacionadas à imaturidade neurológica do intestino, que ainda está se desenvolvendo. As contrações intestinais são desorganizadas e ocorre mais produção de gases, o que piora o quadro.

Além disso, a flora intestinal ainda está em formação. Alguns estudos relacionam o tipo de microrganismo presente na microbiota intestinal com as cólicas.

Fatores de risco

  • Tensão familiar;
  • ansiedade e desamparo materno;
  • ambiente agitado;
  • gases (engolidos durante a amamentação ou durante o choro);
  • refluxo gastroesofágico;
  • alergia ou intolerância a algum alimento;
  • alergia à proteína do leite.

Sintomas

  • Choro prolongado, geralmente por mais de 3 horas;
  • face vermelha, caretas;
  • punho cerrado;
  • apertar as pernas contra a barriga.

Diagnóstico

O diagnóstico é baseado na história e no exame clínico. Outras doenças devem ser afastadas para se concluir que o choro é realmente causado por cólicas.

Tratamento

Não existe tratamento que consiga curar as cólicas. Isso depende de tempo para que o organismo do bebê se desenvolva completamente.

O aleitamento materno é a medida mais recomendada no manejo do problema, pois possui substâncias pré e probióticas que ajudam na formação da microbiota intestinal.

Durante a crise de cólica, algumas medidas são recomendadas:

  • manter um ambiente calmo;
  • controlar a ansiedade materna;
  • acalentar e confortar o bebê;
  • massagear de leve a barriga do bebê, se ele permitir;
  • fazer bicicleta com as perninhas;
  • dar um banho morno.

Prevenção

  • Aleitamento materno exclusivo por, pelo menos, 4 meses;
  • colocar o bebê para amamentar em uma posição mais ereta e evitar que ele engula muito ar;
  • colocar o bebê para arrotar após a amamentação;
  • não fume durante a gravidez. Além de outros problemas, isso aumenta a chance do bebê ter cólica.

E aí, gostou do texto? Para ler mais conteúdos como este, fique de olho em nosso Site e siga nossos perfis nas redes sociais (Facebook e Instagram)! Estamos te esperando.

Texto originalmente publicado no portal Convite à Saúde

Arquivos

Posts recentes

Comentários

    Redes Sociais

    WhatsApp chat